Métodos de pesca – uma questão de inteligência

Métodos de pesca mais inteligentes reduzem as capturas acessórias acidentais e aumentam a eficiência da pesca

Menos capturas acessórias, captura não intencional de peixes e outras espécies marinhas em redes de pesca ou nos ganchos, significa uma captura economicamente mais utilizável, unidades populacionais de peixe mais estáveis e mares mais saudáveis, em suma: pesca mais sustentável.

Uma espécie que é fortemente afetada pela captura acessória é a tartaruga marinha. Centenas de milhares são capturadas ano após ano. [1]

Uma forma de evitar isso é a aplicação dos chamados “turtle excluder devices” (TEDs) nas redes de arrasto. Esta é uma espécie de janela de fuga para as tartarugas. Enquanto os peixes e mariscos podem nadar através de uma espécie de peneira, é demasiado fina para as tartarugas e como tal estas são canalizadas para cima em direção a um buraco na rede e podem sair ilesas. Em Moçambique, a partir de 2005, os TEDs tornaram-se obrigatórios por lei e salvam cerca de 5000 tartarugas por ano.

Outro desenvolvimento para beneficio das tartarugas são os ganchos circulares. Devem ser usados em detrimento dos ganchos comuns em forma de “J” nas longas linhas de pesca de atum. Num único projeto piloto a WWF testou os novos ganchos com 1.300 pescadores ao longo de 4 anos. O resultado foi avassalador: As capturas acessórias de tartarugas reduziram em 90%.[2]

De longe, estas não são as únicas novidades nesta área. Graças ao WWF – concorrência internacional desenvolvida, “equipamento inteligente”, nos últimos anos, vários métodos têm sido desenvolvidos para aumentar a taxa de captura para cada espécie-alvo e, ao mesmo tempo, reduzir significativamente as capturas acessórias indesejadas.

Uma dessas invenções é o chamado, “Super Polyshark’. Os cientistas da Flórida desenvolveram pellets que libertam um cheiro dissuasor para os tubarões à medida que se dissolve na água, mas que é totalmente seguro e biodegradável. Os pellets são colocados no isco antes de este ser preso em ganchos em linhas longas. Num teste inicial, menos 71% de tubarões foram capturados quando comparado com a utilização do isco anterior.[3]

Esses exemplos demonstram que as capturas acessórias podem efetivamente ser evitadas. Agora está nas mãos das frotas de pesca utilizarem estes e métodos semelhantes. A procura de peixe de origem sustentável por parte dos consumidores é uma força motriz para que tal aconteça.

Mostrar referências do texto

[1] WWF Síntese sobre Capturas Acessórias. http://wwf.panda.org/about_our_earth/all_publications/?166941/Bycatch-Factsheet [2] WWF Artigo. Tecnologia das Pescas Libertar as Tartarugas do Anzol. Iniciativa Capturas Assessórias: Programa do Pacífico Oriental. http://wwf.panda.org/who_we_are/wwf_offices/peru/?143981/Fishing-Technology-Thats-Letting-Turtles-Off-the-Hook [3] WWF Concurso International Smart Gear. https://www.worldwildlife.org/initiatives/international-smart-gear-competition

Share This