Mais acerca das vantagens do peixe e marisco sustentável

Quais são as vantagens da sustentabilidade da pesca e aquicultura?

  • Consideração das quotas de captura para permitir que as populações de peixes se reproduzam – aqui, uma certa quantia é retirada ao stock de forma que possa ser reabastecido naturalmente
  • A gestão ativa da pesca e a observação regular das unidades populacionais de peixes contribuem para isso
  • Não à captura de peixes que ainda são demasiado jovens para se reproduzirem em conformidade com os requisitos mínimos de tamanho aquando da pesca
  • Análise do efeito da pesca sobre os habitats de peixe e outras espécies marinhas
  • Redução da captura não intencional – de peixes e espécies marinhas que são capturadas acidentalmente em redes de pesca e anzóis
  • A proteção do ambiente natural e da conservação da biodiversidade
  • Acompanhamento e posterior prevenção da pesca ilegal, o que é em parte ainda levado a cabo com métodos extremamente prejudiciais e impactos devastadores para o meio ambiente
  • Preservação dos habitats marinhos e stocks estáveis também resultam numa estabilidade das condições de vida e da base nutricional de milhões de pescadores e pessoas, cuja subsistência provém da transformação e venda de peixe e marisco
  • Na aquicultura: controlo reforçado sobre o uso de produtos químicos, antibióticos e hormonas

Pode a criação de peixes (aquicultura) resolver os problemas?

Os sistemas de aquicultura, explorações de aquicultura e frutos do mar, podem ser parte da solução e ajudar a reduzir a pressão sobre as populações de peixes. Hoje, um em cada dois peixes para consumo provém da aquicultura.  [1]

É importante ainda verificar os efeitos ambientais disto. Em algumas regiões costeiras, devido à criação da aquicultura, florestas de manguezais são destruídas, áreas que são importantes para a desova e áreas de recuperação para diversas espécies. A aquicultura convencional pode também contribuir para a sobrepesca dos mares em todo o mundo devido à criação de peixe, os peixes para a alimentação também são necessários. E isto aumenta, em vez de diminuir, a pressão sobre as populações de peixe.

 

Quem é o responsável?

Certamente, parte da responsabilidade reside nos políticos, que devem exigir uma pesca sustentável através de leis e regulamentos e nas empresas de comercialização, que devem oferecer produtos sustentáveis. Mas os consumidores também têm uma responsabilidade e podem ter uma influência sobre a indústria da pesca, através da mudança do comportamento de compra. Afinal de contas, é a procura que controla o que se encontra em oferta – e essa é a nossa hipótese.

Como posso ajudar?

Quando comprar peixe e produtos de marisco, escolha produtos sustentáveis – isto aplica-se tanto se estiver a adquirir peixe selvagem capturado no mar ou peixe de água doce, bem como de viveiro.

Como posso saber se o peixe é sustentável?

É fácil identificar o peixe sustentável se for devidamente rotulado. Existem muitos produtos com as etiquetas adequadas, por exemplo, MSC para peixe selvagem ou ASC para a aquicultura / peixes de viveiro.

Existem também alguns rótulos “Bio” que garantem a sustentabilidade de produtos de peixes de viveiro.

Quando comprar peixe na sua peixaria ou na peixaria do supermercado, procure os anúncios relevantes ou fale com o seu vendedor.

 

mostrar referências do texto

[1] Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO). O Estado Mundial da Pesca e da Aquicultura, 2014. Roma. Página III; http://www.fao.org/3/a-i3720e.pdf

Share This